EcoUrbis valoriza e promove a inserção de mulheres

30/06/2015

O serviço de limpeza urbana têm ganho cada vez mais importância na sociedade. 

Pesam nesse sentindo alguns fatos e o aumento da geração de resíduos é, sem dúvida, o principal deles. Um estudo divulgado em outubro de ano passado pela Abrelpe (Associação Brasileira de Limpeza Pública e Resíduos Especiais) mostra que, em 2015, a produção de lixo no Brasil aumentou 1,7% em relação ao ano anterior. O total de Resíduos Sólidos Urbanos (RSU) avançou de 78,6 milhões de toneladas para quase 80 milhões de toneladas, mesmo com a recessão. 

É fundamental, portanto, que além dos serviços de limpeza urbana prestados em cada cidade, todos os cidadãos também contribua. Essa contribuição pode ser feita de diversas maneiras. Uma delas é reavaliar hábitos de consumo, dando preferência a produtos em refis e que utilizem material reciclável. Outra é participar da coleta seletiva.

A EcoUrbis desde 2004, desenvolve suas atividades convicta de que, ao mesmo tempo em que presta serviços de qualidade, é possível promover melhorias do ponto de vista social e também da inclusão de mulheres no mercado formal de trabalho. 

O primeiro passo nessa direção foi dado em 2004, com a contratação de moradores de comunidades carentes, como Heliópolis e Paraisópolis, as duas maiores de São Paulo, para trabalhar como coletores na própria região em que vivem, Por meio dessa iniciativa, a coleta de lixo porta a porta em comunidades carentes, que até então não existia, passou a ser feita. 

Hoje perto de 90 comunidades no Agrupamento Sudeste, contam com o serviço. São mais de 350 coletores que atuam na própria comunidade em que moram e, desse total, aproximadamente 70 são mulheres. 

A partir da experiência em comunidades carentes, a EcoUrbis ampliou a contratação de mulheres também para a coleta seletiva.Diferentemente da coleta de resíduos domiciliares, cujo os sacos são mais pesados e exigem maior força física, na coleta de materiais recicláveis os sacos são leves, pois contém basicamente garrafas pet, caixas de papelão, embalagens de produtos de limpeza, etc., garantindo que as mulheres não sejam sobrecarregadas pelo peso. Ainda na área operacional, a EcoUrbis também foi pioneira na contratação de motoristas mulheres para guiar caminhões compactadores.

A preocupação com a inserção do público feminino no quadro de pessoal também pode ser observada na equipe administrativa. Do total de 100 profissionais, 40 são mulheres, com muita delas ocupando posições executivas em superintendências e gerências de diversas áreas. 

A presença de mulheres em uma concessionária de limpeza urbana, que no imaginário popular é um reduto predominantemente masculino, é mais uma prova de que toda e qualquer empresa pode desenvolver ações com foco na equidade de gênero.


Voltar